24 de jan de 2014

Lucros da Microsoft superam as expectativas, e nada sobre um novo CEO

Enquanto nós gastamos nossos teclados xingando o Windows 8 em comentários de notícias, a Microsoft está enxugando suas lágrimas de chateação com dinheiro. A empresa alcançou um lucro acima do esperado no último trimestre, segundo relatório fiscal publicado ontem, onde reportou receita de US$ 24.52 bilhões, um crescimento de 14% em relação ao ano de 2012.
As vendas de dispositivos foram os principais responsáveis pela boa saúde financeira da empresa. O Xbox Onecontribuiu com mais da metade das 7.4 milhões de vendas de consoles da empresa, sendo que no mesmo período do ano passado a Microsoft havia vendido apenas 5.9 milhões de unidades, quando ainda só comercializava o Xbox 360.
Se não ajudou, ao menos o Surface 2 não prejudicou tanto. A empresa obteve 893 milhões de dólares com a venda do iPad killer tablet, algo que não chega a ser lucrativo considerando que o custo de criação e comercialização do dispositivo está estimado em 932 milhões de dólares, segundo a Reuters. Considerando a perda de US$ 2 bilhões no Surface de primeira geração, podemos considerar o "pouco prejuízo" uma vitória da segunda geração do tablet, mas as 2 milhões de unidades vendidas ainda são pouco do lado dos 20 milhões de iPadscomercializados, no mesmo período. A divisão de dispositivos, em geral, teve um crescimento de 14% em relação ao ano passado.
Com a divisão de sistemas, porém, a coisa não anda bem mesmo. O segmento do Windows sofreu uma queda na receita de 3% em relação a 2012, e a Microsoft atribui a estagnação às "dificuldades no mercado de PCs". Em compensação, ressalta o crescimento de 12% de seus sistema operacional para smartphones, o Windows Phone.
Novo CEO: a missão
Os resultados positivos financeiros poderiam ser uma "saída com estilo" de Steve Ballmer, deixando a empresa em uma situação favorável. O problema, porém, é a sucessão. O CEO da Ford, Alan Mulally, era cogitado como um nome forte para assumir o posto máximo da empresa, porém já há informações que ele não irá deixar a Ford. A dificuldade de encontrar um novo líder para a companhia já vem recebendo seus culpados: Steve Ballmer e Bill Gates estariam assustando os candidatos potenciais, principalmente por sua influência excessiva nas decisões da empresa, algo que, segundo rumores, levou Ballmer a prometer abandonar a diretoria da empresa assim que o novo CEO assumisse, para evitar este problema.

Muitos apostaram, inclusive o público do Adrenalinenesta enquete, que Stephen Elop, ex-CEO da Nokia, assumiria o posto, mas nada oficial foi declarado pela Microsoft, até o momento.