30 de jan de 2014

Apps para iOS: SwiftKey Note, SignIt Pro e outros destaques da semana

A lista desta semana tem apps para iOS voltados para suprir diferentes de tipos de necessidades dos usuários. Entre os destaques, há o Tvtag, para quem curte assistir à TV e falar sobre o seu conteúdo, e o Groopic, para não deixá-lo de fora das fotos em grupo. Conheça essas e muitos outras novidades na relação que o TechTudo preparou.
UPDATE DE ÚLTIMA HORA: SWIFTKEY NOTE (Grátis)
SwiftKey Note para iOS (Foto: Divulgação)
SwiftKey é o aplicativo pago número 1 no Google Play Brasil e em vários outros países. E não é por pouco: o poder de previsão deste teclado personalizado é impressionante! Mas, se a Apple não permite instalar outros teclados em seu sistema operacional, como esta empresa contornaria esta dificuldade para ingressar no iOS? Lançando um app de notas! A ideia é que, com esse recurso no app, você consiga digitar textos longos mais rapidamente. Aproveite que é de graça para testá-lo!


- TVTAG (Grátis)
Tvtag liga pessoas que curtem Tv (Foto: Divulgação)
O Tvtag é o novo nome do GetGlue, um famoso aplicativo de troca de informações entre os fãs de TV. O app ganhou um layout renovado e propõe uma experiência ainda mais interativa para quem não consegue assistir aos seus programas favoritos sem um celular para comentar o conteúdo com os amigos. Com ele, você pode classificar seus seriados favoritos, adicionar filmes e eventos esportivos à lista do seu perfil, para ampliar seus interesses em comum com outros usuários e assim, ganhar novos seguidores. Confira!
Download do Tvtag | iOS 6.0+


- GROOPIC (Grátis)
Groopic coloca todo mundo em uma mesma foto  (Foto: Divulgação)


Quando é preciso fotografar pessoas em grupo, a menos que você peça ajuda a um desconhecido, um dos amigos ou familiares acaba ficando com a tarefa de fotógrafo e, consequentemente, não aparece na foto. Nessa situação, o Groopic pode te ajudar. Com ele, você captura uma imagem do grupo e, depois, uma outra pessoa tira uma segunda foto, com você nela. Ao fim do processo, basta marcar os dois fotógrafos nas imagens que o app analisa e junta ambas as imagens, colocando todos na mesma foto.
Download do Groopic | iOS 6.0+


- SIGNIT PRO  (Grátis)
Preencha formulários e assine documentos de onde estiver com Signit Pro (Foto: Divulgação)
Se você precisa assinar documentos ou colocar informações em formulários e está longe do local, basta usar o SignIt Pro. O app é a maneira mais simples e conveniente para dar a sua assinatura e preencher formulários diretamente do seu iPhone, iPod Touch e iPad. Com ele, você economiza tempo, dinheiro e elimina as dificuldades de impressão, digitalização, fax e ainda pode enviar o documento assinado. Além dessa ação, você ainda pode colocar uma data ou adicionar um texto, tudo isso usando apenas o seu dedo ou uma caneta.


- CIELO MOBILE (Grátis)
Receba pagamentos com cartão no seu gadget com o Cielo Mobile  (Foto: Divulgação)
Receba pagamentos por cartão em qualquer lugar, usando esse app da Cielo. Com ele, você pode usar seu smartphone ou tablet para fazer o recebimento de contas seu cliente via cartão de crédito, à vista ou parcelado, apenas digitando o número do cartão dele. No final da transação, você ainda poderá enviar o recibo de pagamento diretamente para o e-mail do cliente. O aplicativo funciona com as principais operadoras de telefonia celular (Claro, Vivo, TIM e Oi) em todo território nacional, aceita transações com as principais bandeiras de cartão, como Visa, MasterCard, American Express e mais outras 26, e ainda permite usar uma conexão Wi-Fi ou 3G/GPRS.


- BLEND  (Grátis)
Blend permite misturar várias fotos em uma só de um jeito fácil (Foto: Divulgação)
Quem nunca pensou em juntar determinadas fotos para lembrar aquele momento especial? Com esse app, você consegue isso e de um jeito bem simples: tratando cada imagem como uma camada. Nele, você adiciona fotos como camadas em uma mesma imagem e termina criando verdadeiras obras de arte. Com ferramentas simples, o programa permite até mesmo fazer uma combinação em modo aleatório, para usar naqueles dias em que você não está muito inspirado. Ao fim do processo, você pode compartilhar a sua obra no Instagram, Twitter ou Facebook, diretamente no app. Veja!                     .

Samsung vai lançar Life Times, app que reúne ‘todos os outros’ em um só

Samsung vai lançar, nos próximos aparelhos da linha Galaxy, um novo aplicativo chamado "Life Times". O programa servirá como uma espécie de diário, onde serão coletadas informações de diversos outros aplicativos, reunindo-as em um único lugar. A proposta é semelhante a do Flipboard, mas com intuito de criar uma espécie de revista da própria vida do usuário.
Aplicativo da Samsung pode chegar no novo S5 (Foto: Reprodução/Sam Mobile)
Algumas imagens do Life Times foram divulgadas nesta quinta-feira (30) pelo site Sam Mobile, mostrando como deve ser a interface dele, além de duas pequenas listas com nomes e ícones dos outros aplicativos que vão ser compatíveis com seus recursos. Nestas listas, além de funções do celular, como câmera, e-mail, localização, mensagens, telefone e música, aparecem também ícones das principais redes sociais: Facebook, Foursquare, Google+, Instagram e LinkedIn.
Ainda não há muitos detalhes de como o programa vai funcionar, mas a expectativa é que ele seja um agregador de conteúdo, semelhante ao Samsung Story Album; este último dedicado a fotografias e lançado no ano passado. Na descrição das funções nos screenshots, o app informa que as informações coletadas “serão anexadas automaticamente todos os dias”.
A Samsung não se pronunciou oficialmente, mas espera-se que o Life Times possa ser revelado junto com o próximo grande lançamento da linha Galaxy. O mais aguardado no período deste início de ano é o Samsung Galaxy S5.

Amazon alerta sobre possível prejuízo neste trimestre

SEATTLE, 30 Jan (Reuters) - O lucro da Amazon ficou abaixo das expectativas de Wall Street no trimestre considerado crucial para as vendas de fim de ano e alertou investidores sobre um possível prejuízo operacional neste trimestre, presssionando suas ações para queda de mais de 9 por cento no after market.
A maior varejista da Internet do mundo disse que esperava resultados operacionais para o trimestre atual entre prejuízo de 200 milhões a lucro de 200 milhões de dólares, sem fornecer mais detalhes.
A Amazon registrou receita de 25,6 bilhões de dólares, ante expectativas de um pouco acima de 26 bilhões de dólares. As vendas internacionais cresceram somente 13 por cento, abaixo das expectativa de Wall Street de crescimento de 14 a 15 por cento.
A companhia, cuja tendência é criar novos mercados e produtos em vez de lucro imediato, registrou lucro líquido de 239 milhões de dólares, ou 0,51 dólar por ação, comparado a um lucro de 97 milhões de dólares, ou 0,21 dólar, no ano anterior. Analistas, em média, esperavam 0,66 dólar.

A Motorola continuará sendo espetacular sem o Google?

ku-xlarge

Você pode ter a sua teoria para a venda da Motorola pelo Google. Eles queriam apenas as patentes? Viraram melhores amigos da Samsung? Mas uma questão muito mais importante precisa ser respondida: o que vai acontecer com a Motorola?
Em um ano onde mais e mais fabricantes se renderam ao Android puro, a Motorola se destacou com seus recursos estranhos, mas fantásticos. E em meio a processadores potentes Snapdragon 800, o Moto X, com suas especificações técnicas aparentemente modestas, parecia pertencer a outro mundo. Mas ele inovou muito, com uma customização de hardware que simplesmente não havia sido considerada antes. Ele finalmente se tornou um smartphone Android para todos.
É algo que podemos esperar novamente agora que a Lenovo – e não mais o Google – está no comando? Na verdade, sim.

Hardware

Os smartphones da Lenovo não chegaram ao mundo ocidental, e, por isso, eles são desconhecidos por aqui. Mas eles são confiáveis. Já vimos uns corpos belíssimos e bastante atenção ao design, algo esperado para uma empresa que acabou de comprar os direitos de lançar o sucessor de um dos nossos smartphones preferidos do momento. Então a Lenovo já conhece o mercado, e produzir um smartphone não é algo novo para ela.
Mas, em vez de pensar em smartphones, talvez seja bom olhar para algo que está perto de nós. Parece que faz muito tempo, mas em 2005 a Lenovo comprou a linha ThinkPad da IBM. E provavelmente muita gente não percebeu. Os ThinkPads não mudaram drasticamente nem deixaram de ser ótimos; eles, na verdade, consistentemente melhoraram nos últimos nove anos. Mais elegantes, finos, o tipo de dispositivo que domina seu nicho ao mesmo tempo que se mantém verdadeiro ao seu legado. A Lenovo já mostrou que pode fazer isso muito bem.
E isso sem falar na linha Yoga, original da Lenovo, que tem alguns dos melhores laptops do momento, com soluções simples e inteligentes de hardware para os desafios do Windows 8. Não é possível fazer isso sem apetite por design e inovação, e foi essa combinação que nos deu o Moto X. Os Yogas também tem um ar durável e premium. Isso é algo que a Lenovo sabe fazer.
19e5cm3tpdahejpg
E o que talvez seja o mais importante: a Lenovo não tem medo de se arriscar. Quando o Windows 8 foi lançado, ele basicamente forçou OEMs a tomarem medidas criativas. Alguns afundaram, os da Lenovo não. Esta é a empresa que colocou um kickstand em um tablet. Talvez seja algo mais bobo do que sábio, mas o futuro do Moto X não é sobre o que a Lenovo pretende fazer, e sim o que ela está disposta a deixar a Motorola tentar. E a resposta que esperamos: o que ela quiser.
194qm3r517nh5jpg

Software

O Moto X não tem apenas hardware bom. Grande parte das suas qualidades está no software que o acompanha. Não apenas ele está livre de skins do Android, mas também de muitas intrusões de operadoras. Dá a impressão que a Motorola (ou o Google) não apenas quis que ele ficasse livre de bloatware – ela brigou por isso.
Vamos colocar isso nas mãos de uma fabricante de PCs. A maior parte dos laptops acompanha muito bloatware. Mas, historicamente, os da Lenovo são menos intrusivos. Não são livres deles – poucos são – mas as adições indesejadas normalmente são boas, e mesmo que a Lenovo não pareça lutar contra elas, também não aparenta estar obcecada por eles.
A outra boa notícia vem do Yoga Tablet, da Lenovo – o primeiro tablet da empresa nos Estados Unidos – que até tem um Android modificado, mas muito pouco. Ele tem apps e um launcher personalizados, mas nenhuma mudança terrível ao sistema que roda por trás de tudo. E se a Motorola lançou aparelhos recentemente sem uma skin horrorosa, parece pouco provável que a Lenovo pense em incluir uma.
Historicamente, os ThinkPad nos mostram que a Lenovo sabe como respeitar seus filhos adotivos, como ajudá-los a se superarem. E isso é ótimo, nos dá uma perspectiva de um bom futuro para a linha de smartphones Moto. Ao menos se o projeto for mais mérito da Motorola, e não algo orquestrado pelo Google.

Inovação

A grande questão em aberto, no entanto, é o quanto a Motorola conseguirá não apenas manter o Android limpo, como também melhorá-lo. Um dispositivo Google Play Edition pode oferecer um hardware excelente sem nenhum tipo de crapware (mas por um preço, e alto). Mas o Moto X levou o Android além disso, superando o padrão e oferecendo algo melhor; reconhecimento de voz e as notificações ativas são coisas que não são encontradas no Android padrão. E mesmo o gesto para ativar a câmera é mais uma benção do que dispensável.
18w6hv8f5v7o0gif
Quem realmente foi responsável por esses pequenos truques? Não sabemos. Até agora, era impossível separar a Motorola do Google. E talvez continue difícil. A Motorola em si foi vendida, mas o Google manteve a unidade de pesquisas avançadas, chefiada pela ex-funcionária da DARPA Regina Dugan. Então mesmo que o Moto X tenha sido desenvolvido pela Motorola, a Lenovo provavelmente não levará o pacote completo. Ao menos não as peças que faziam ele andar para frente.
Esperar que a Motorola lance outro smartphone que dê um salto para o futuro do jeito que fez o Moto X talvez seja otimista demais. O Moto X representa um momento bem específico – e estranho – na era do Android, onde hardware e software se uniram para seguirem em frente, antes que o exército de outros Androids começassem a ver essa aliança como algo perigoso.
Esse momento pode ter acabado, mas a Motorola está escapando com um projeto incrível, para os braços de uma nova empresa, e parece pouco provável que ela tente consertar o que não está quebrado. Então a Motorola pode continuar sendo excelente sem a ajuda do Google? Ela deve ser capaz de manter o que a faz ser boa nesse último ano. Esperamos que também consiga melhorar.

Google aumenta receitas, mas vê Motorola sugar seu lucro



O Google divulgou nesta quinta-feira, 30, os resultados de seu último trimestre fiscal no ano de 2013. O período, encerrado no dia 31 de dezembro, representou mais um período de crescimento em receitas e lucros, embora este segundo quesito tenha decepcionado os analistas de mercado. 

A empresa fechou os últimos três meses com uma arrecadação de US$ 16,86 bilhões, um crescimento significativo em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram gerados US$ 14,4 bilhões em receitas pela empresa, resultando em uma alta de 17%.

Contudo, o lucro ficou abaixo do esperado, apesar de permanecer em alta. Sobrou para a empresa um lucro líquido de US$ 3,38 bilhões, contra US$ 2,89 bilhões no mesmo período de 2012, ou uma alta. O salto também foi de cerca de 17%.

Mesmo assim, não foi suficiente para satisfazer os analistas. Isso graças aos resultados fracos da Motorola sob seu comando. No trimestre, a empresa que agora será parte da Lenovo teve números ruins, arrecadando US$ 1,24 bilhões, contra 1,51 bilhões no final do ano passado.

A Motorola também representou um prejuízo de US$ 384 milhões no último trimestre, aumentando o ritmo de perda de dinheiro sob o contorle do Google. No fim do ano passado, o prejuízo havia sido de US$ 152 milhões.

Como um todo, o ano da Motorola representou uma perda de US$ 1,245 bilhão para os cofres do Google. As perdas aumentaram em relação a 2012, quando a Motorola significou um prejuízo de US$ 1,113 bilhão. Entretanto, a aquisição só foi completada no segundo trimestre daquele ano, então é possível dizer que o ano de 2013 foi um pouco melhor que 2012, já que as perdas foram diluídas.



Moto G começa a receber Android Kit Kat


A Motorola anunciou que o Moto G, smartphone que se destacou no mercado brasileiro, começou a receber atualização para o Android 4.4.2 (Kit Kat) nessa quarta-feira, 29.

A liberação do sistema operacional ocorre primeiro em aparelhos comprados junto a lojas varejistas. Clientes que adquiriram o Moto G em contrato com operadoras terão de esperar um pouco mais.

Entre as novidades presentes no Android Kit Kat estão a possibilidade de usar o Hangouts para troca de SMS; um recurso de busca de contatos direto no teclado, com visualização e seleção dos mais frequentes; e novas opções de edição no aplicativo Galeria - incluindo novos filtros, desenhos nas imagens, recorte avançado etc.).

Também há novos formatos nas barras de navegação e de status, e um novo modo de tela cheia, com maior aproveitamento do espaço útil.

3D Air-Touch: a tecnologia que deve ser o futuro dos tablets

3D Air-Touch: a tecnologia que deve ser o futuro dos tablets



Você já assistiu ao filme “Minority Report”? Nele, Tom Cruise interpreta um policial que trabalha em um futuro não muito distante. Por conta disso, os instrumentos que ele utiliza são consideravelmente mais avançados que os atuais, sendo que um deles é uma espécie de tela holográfica utilizada por meio de gestos.



Parece algo muito futurista, não é? Pois acontece que um novo tipo de display está sendo desenvolvido por pesquisadores chineses da Universidade Nacional Chiao Tung, em Taiwan, com o objetivo de ser utilizado principalmente em tablets. E, se tudo der certo, as pessoas vão poder utilizar aparelhos parecidos com o de Tom Cruise no filme descrito anteriormente.

Juntando ideias diferentes e já existentes


3D Air-Touch: a tecnologia que deve ser o futuro dos tablets

Para que isso seja possível, os chineses criaram uma tela que é chamada de 3D Air-Touch. Em uma comparação simples, podemos dizer que a novidade utiliza os conceitos de imagens em três dimensões de consoles de mão com os comandos por gestos do Kinect para Xbox, com a diferença que os seus movimentos influenciariam esses “hologramas”.

O funcionamento da nova tecnologia é, na prática, bastante complexo. Quando integrada a um aparelho, o sistema da nova tela contaria com uma iluminação infravermelha e sensores do tipo Leap Motion para conseguir perceber os seus movimentos e os seus comandos. Além disso, também seriam utilizados scanners para aumentar ainda mais a precisão de leitura.

Atualmente, a 3D Air-Touch consegue projetar imagens em três dimensões com somente três centímetros de distância, resultando em um “campo de controle” muito pequeno para o usuário. Essas figuras são produzidas com uma tecnologia que utiliza uma camada de iluminação traseira e projeta o objeto para frente — e é claro que todo o processo é mais complexo do que parece.

Ainda há o que melhorar


O pesquisador Guo-Zhen Wang, uma das pessoas que encabeçam o projeto, declarou que testes já foram feitos com um “universo” 2D e com resultados positivos (previsão alta, erros na margem de apenas 0,5 centímetro). No entanto, há ainda muito trabalho a ser feito, principalmente para aumentar o alcance dessas telas e o suporte para multitouch.

Contudo, parece que essa nova tecnologia seria muito bacana, principalmente quando empregada em tablets, smartphones e até mesmo televisões, não é mesmo? Para explicar a sua opinião, bastar postar um comentário.


Fonte: PhysOrgDvice


Marvel Run Jump Smash leva seus heróis favoritos aos tablets e smartphones

Marvel Run Jump Smash leva seus heróis favoritos aos tablets e smartphones 

A Marvel lançou um novo jogo no estilo
 infinite runner para dispositivos móveis. No lançamento, os jogadores podem selecionar entre oito heróis diferentes para percorrer os estágios infinitos do game: Viúva Negra, Capitão América, Capitão Marvel, Gavião Arqueiro, Hulk, Homem de Ferro, Thor e Homem-Aranha. Segundo a companhia, outros heróis ainda devem ser adicionadas com o tempo.


Segundo a descrição de Marvel Run Jump Smash, cada personagem conta com poderes únicos que podem ajudá-lo a alcançar uma pontuação maior. Para que as suas chances aumentem, o game ainda permite trocar entre os heróis durante as partidas, fazendo com que seja possível utilizar todas as habilidades especiais em um único jogo.

Lançado originalmente na Coreia do Sul no ano passado, o game está sendo vendido por US$ 0,99 na App Store do iTunes e no Google Play. Enquanto isso, uma versão para Windows Phone deve ser disponibilizada nas próximas semanas.


Fonte: Polygon


Mudando de estratégia, Nintendo vai investir em saúde e qualidade de vida

Ontem, o presidente da Nintendo, Satoru Iwata, fez alguns anúncios que dizem respeito ao futuro estratégico da empresa – e, do jeito que as coisas andam, é preciso mexer vários pauzinhos para que ela consiga se reerguer financeiramente.

Iwata falou sobre mobile, avisando que a Nintendo criará apps, mas não jogos, e reafirmou a convicção da empresa em investir no seu próprio hardware, mesmo com as dificuldades de vendas do Wii U.

O destaque ficou por conta de uma nova frente na qual a Nintendo pretende ser mais ativa: a de saúde – ou, como prefere chamar, “qualidade de vida” ou QOL (de “quality of life”). Ela já tem produtos desenvolvidos na área: o Wii Fit é o maior exemplo disso – já vendeu, junto com o Wii Fit Plus, mais de 42 milhões de cópias em todo o mundo.

A ideia da Nintendo é agir na área de prevenção de doenças e criar produtos que sejam atraentes, divertidos e façam parte do dia a dia sem ser uma obrigação, mas algo adotado naturalmente. As pessoas poderão monitorar sua saúde e receber palpites do sistema sobre ela.

O diagrama abaixo ilustra como é essa ideia:
38l
No entanto, o discurso ainda é meio nebuloso e não revela muita coisa sobre o que será essa entrada no ramo de QOL. Foi dito que será uma plataforma que integra hardware e software (algo como um console específico?) e se encaixará numa categoria “que gostamos de chamar de non-wearable“, mas não há detalhes do que será essa “nova” categoria.

Porém, não deve demorar muito para que ouçamos falar novamente da Nintendo e seus investimentos em QOL: a empresa prometeu mais detalhes nos próximos meses. O lançamento do “não-wearable”, no entanto, fica para o ano que vem, e é esperado que alavanque os resultados desse ano fiscal.


Viber chega oficialmente ao Brasil para concorrer com WhatsApp

Hoje, o isralense Talmon Marco fez uma palestra na Campus Party sobre empreendedorismo. E, como CEO do Viber, um dos principais aplicativos de mensagens instantâneas do mundo, ele tem bastante expertise em como transformar sua ideia em realidade (o Viber não é a primeira startup dele) e expandir sua empresa globalmente.

Foi essa expansão que liderou os assuntos na coletiva de imprensa realizada pouco antes da palestra. É que o Viber aproveitou a ocasião para anunciar a abertura de um escritório no Brasil, o que marca sua chegada oficial aqui.

viber ceo
Como estamos acostumados a ouvir das empresas que chegam aqui, a escolha do Brasil para ser o primeiro país da América do Sul (e da América Latina, no caso do Viber) a receber uma filial é por questões estratégicas. Somos o maior mercado da região e a presença física da startup aqui pode não apenas expandir a já grande base de usuários, mas ser o ponto de partida para a chegada em outros países próximos.

Marco também cita estratégias focadas no mercado brasileiro, especialmente no que diz respeito à criação de conteúdo especial. Ele cita o caso dos stickers, que chegaram recente ao app. Eles fazem bastante sucesso em países orientais e têm crescido em popularidade também no Brasil. Com o escritório e a equipe brasileiros, será possível criar stickers exclusivos para o país, baseados em feriados nacionais e manias do momento, por exemplo.

É daí que vem parte da receita do Viber, que “é e sempre será gratuito”, nas palavras do CEO: segunido o modelo freemium, há pacostes de stickers pagos que saem por R$ 5,22. Alguns deles trazem conteúdo licenciado, como de Adventure Time ou Meninas Superpoderosas.

Outra fonte de renda para a startup é pelo Vibert Out, serviço de chamadas para telefones fixos e móveis sem Viber que oferece preços mais competitivos que a concorrência (leia-se: Skype) e que as operadoras de telefonia no Brasil.

Quanto aos competidores no mercado brasileiro, são praticamente descartados outros que não sejam o WhatsApp. E, ainda assim, o Viber está bem otimista com o que deve conquistar por aqui. Primeiro, porque é um serviço mais completo que seu principal rival, com mais recursos, como as ligações, e multiplataforma – está presente também em desktops, além de tablets e smartphones. Segundo, porque, sem nenhuma publicidade ou investimento direto aqui, já tem mais de 10 milhões de usuários brasileiros cadastrados.

Em todo o mundo, o Viber já passa os 300 milhões de usuários, com um aumento semanal de surpreendentes 700 mil.


29 de jan de 2014

Dragon Ball Z Battle of Z traz centenas de lutadores; veja prévia

Dragon Ball Z: Battle of Z é um novo game de luta para Xbox 360PlayStation 3 e PS Vita que funciona como mais uma adaptação do famoso desenho japonês para os games. O título chegou com novidades, como batalha em equipes e a presença de personagens totalmente inédito, além do grande elenco de lutadores. Confira a prévia completa e descubra mais sobre Battle of Z.
Dragon Ball Z: Battle of Z (Foto: Divulgação)
Personagens do filme
Dragon Ball Z: Battle of Z apresenta personagem do filme A Batalha dos Deuses, como o deus Bills e seu amigo Whis. Os dois estrearem no longa-metragem que foi exibido nos cinemas brasileiros em 2013 e vão trazer muito mais estratégia e novos golpes para as batalhas. A dupla é bem poderosa e possui golpes especiais devastadores.
Outra novidade é a forma Super Saiyajin Deus de Goku, personagem central da aventura. Nesta forma ele fica ainda mais poderoso, apesar de mudar pouco de aparência. Vale lembrar que o Super Saiyajin Deus também fez sua estreia no filme A Batalha dos Deuses, o que deixa a experiência ainda mais atual.
Dragon Ball Z: Battle of Z (Foto: Divulgação)
Não há uma história definida em Battle of Z e o game é focado no multiplayer, principalmente por conta de suas batalhas em equipes. É possível ao jogador selecionar até quatro personagens – sejam iguais ou diferentes – e colocá-los na gigantesca arena. Também podemos controlar um de cada vez, ao jogarmos sozinhos, ou facilitar as coisas permitindo o multiplayer. No total, até oito participantes podem entrar em um embate online ao mesmo tempo.
Contudo, temos também conteúdo para aproveitar sozinho e de forma mais tradicional, no formato de missões, em um total de 60 delas. Algumas são inspiradas nas sagas do desenho animado – Freeza, Majin Boo, Cell -, mas outras apresentam conteúdo original e especial, como outras inspiradas nos filmes.
Batalhas épicas e até mesmo contra chefes gigantescos te esperam em Dragon Ball Z: Battle of Z. Vale lembrar que o game chega ao Brasil em português.
O que esperar do jogo:
 - Muitas lutas.
 - Diversos personagens.
 - Lutadores inéditos.
 - Batalhas em grupo.

O que pode surpreender no jogo:
 - Modos de missão.
 - Multiplayer com até oito jogadores.

Dragon Ball Z: Battle of Z (Foto: Divulgação)
O que pode decepcionar:
- Foco multiplayer.
- Gráficos.

Ficha técnica
Nome: Dragon Ball Z: Battle of Z
Gênero: Luta
Distribuidora: Namco Bandai
Plataformas: Xbox 360, PS3, PS Vita
Data de lançamento: 28 de janeiro de 2014


iOS 7 é o sistema móvel mais usado no mundo, defende Apple

iOS 7, base mais recente da Apple que equipa iPhones e iPads, é o sistema operacional móvel mais popular do planeta. Essa foi a definição dada nesta segunda-feira (27) pelo chefe de finanças da companhia, Peter Oppenheimer, que defendeu a superioridade do iOS em comparação às taxas de adoção de updates em seu maior rival, o Android.
iOS 7, da Apple, é a versão de SO móvel mais popular do mundo, segundo CFO da empresa (Foto: Luciana Maline/TechTudo) (Foto: iOS 7, da Apple, é a versão de SO móvel mais popular do mundo, segundo CFO da empresa (Foto: Luciana Maline/TechTudo))


Segundo Oppenheimer, os números de janeiro de 2014 mostram que a sétima versão do iOS já está presente em 80% dos dispositivos móveis da companhia. Em segundo lugar vem o iOS 6, com 17% de adoção, e somente 3% contam com iOS 5 ou versões anteriores instaladas.
Segundo o porta-voz da Apple, o número de aparelhos com iOS 7 supera smartphones e tablets com qualquer versão do Android, que tem o "Jelly Bean" (4.1 a 4.3) como a mais adotada, por 59% de seus usuários. Já a mais nova, 4.4 "Kitkat", tem menos de 2%.
A adoção do iOS 7 cresceu 6% desde dezembro, quando a Apple anunciou que seu sistema operacional estava instalado em cerca de 74% dos dispositivos da companhia compatíveis – iPhone 5SiPhone 5CiPhone 5,iPhone 4S e iPhone 4, assim como os iPad 2, 3 e 4iPad Mini e o mais novo, iPad Air.

Veja as primeiras imagens do LG G Pro 2

Veja as primeiras imagens do LG G Pro 2


Embora a LG tenha anunciado que o LG G Pro 2 só deve ser anunciado oficialmente durante o Mobile World Congress 2014, aparentemente aqueles que já tiveram acesso ao dispositivo não quiseram respeitar a decisão da empresa. Prova disso são as fotos divulgadas nesta quarta-feira (29) que mostram o visual final do dispositivo e vêm acompanhadas por algumas de suas possíveis especificações técnicas.


O novo aparelho deve contar com um display de 6 polegadas com resolução 1920x1080 pixels e um visual bastante semelhante ao do LG G2. A principal diferença do novo aparelho deve ficar por conta de seu hardware, que combina um processador Qualcomm Snapdragon 800, uma GPU Adreno 330 e 3 GB de memória RAM.

Veja as primeiras imagens do LG G Pro 2 

Embora ainda não seja possível confirmar a capacidade do sensor fotográfico do aparelho, tudo indica que ele deve contar com 13 megapixels. Outro ponto que continua no campo de rumores é o sistema operacional do aparelho — porém, nesse sentido, são fortes as evidências de que o smartphone deve vir equipado com o Android 4.4 Kit Kat acompanhado pela interface User Experience (UX).


Fonte: Geeky-Gadgets


Galaxy S5 deve vir com tela QHD; Samsung vai deixar smart 4K pra depois

Samsung confirmou que já possui uma tela "Super Amoled Quad-HD", com resolução de 1.440 x 2.560 (QHD), pronta para ser usada em sua próxima geração de smartphones - como o Galaxy S5. A informação foi divulgada pelo site Daum, que relatou o que foi apresentado pela Samsung no evento "Semiconductor and Display Technology Roadmap".
Galaxy S5 terá tela QHD, com resolução de 1.440 por 2.560 pixels (Foto: Arte / TechTudo)

Com 1440 x 2560 pixels, o display pode chegar a uma densidade de pixels de 560 ppi, caso seja utilizada em um aparelho com tela de 5,2 ou 5,3 polegadas. Provavelmente este será o tamanho utilizado no Galaxy S5, que deve promover a nova resolução como um dos diferenciais perante a concorrência.
A qualidade de imagem Full HD, ao que tudo indica, já está se tornando uma “coisa do passado”. Uma série de fabricantes, como a Nokia e a LG, já estão desenvolvendo telas com resolução Quad HD para os seus tops de 2014. O S5, além da nova tela, deve trazer também uma nova interface Touchwiz para o seu Android.
A evolução dos displays da Samsung nos dispositivos móveis, entretanto, não vai parar por aí. De acordo com o site, a fabricante sul-coreana deu indícios de que está planejando lançar telefones com resolução Ultra HD (4K) “em um futuro não muito distante”. Isso significaria uma tela com resolução de 2.160 x 3.480 pixels.

Atualização torna app TegraZone compatível com qualquer dispositivo Android

Atualização torna app TegraZone compatível com qualquer dispositivo Android


Liberada na última terça-feira (28) pela NVIDIA, a atualização 2.9 do aplicativo TegraZone disponibilizada através da loja Google Play torna o software compatível com qualquer dispositivo Android — mesmo aqueles que não contam com processadores da linha Tegra.

Com isso, agora é possível gerenciar o avanço em jogos através do serviço Google Play Games e realizar seu login usando uma identidade da rede social Google+.


A nova versão do app traz o recurso TegraZone Collections, que divide games por grupos de interesse como gênero, características  e empresa publicadora. Já quem possui o NVIDIA Shield agora pode contar com um maior suporte aos botões físicos presentes no aparelho portátil. Para completar, agora é possível visualizar atualizações que foram arquivadas automaticamente com o serviço.

Com a atualização, a NVIDIA dá os primeiros passos para quebrar as barreiras que limitavam o uso de seu aplicativo a um grupo específico de pessoas. Ao que tudo indica, a intenção da companhia é tentar convencer mais clientes sobre as qualidades do serviço o que, talvez, pode incentivá-los a adquirir algum produto com hardware fabricado pela companhia.