6 de fev de 2014

Hands-on: Testamos o GamePad, o controle para jogos da Samsung



Jogos no celular representam um mercado que não para de crescer, a ponto de representar uma ameaça aos consoles portáteis, como o Nintendo 3DS e o PS Vita. Para isso, acontecer, no entanto, um controle melhor para proporcionar uma experiência mais completa de jogo.


Este é o objetivo da Samsung com o GamePad, novo produto da empresa que tenta transformar o celular em um console completo. O Olhar Digital teve a oportunidade de testá-lo durante o Samsung Latin Forum, em Cancún, para saber se ele realmente consegue cumprir este objetivo.



A primeira coisa a se ressaltar sobre o GamePad é que ele tem previsão de chegar ao mercado brasileiro por R$ 470, o que está longe de ser acessível. Dependendo de onde você procurar, você pode encontrar um 3DS por cerca deste preço, ou talvez só um pouco mais caro. Então é necessário pesar se o investimento vale a pena.


Já em relação ao produto, se trata de um conceito interessante. Mais do que simplesmente possibilitar jogar com um controle, o GamePad, se propõe a transformar o celular em um console, permitindo conectividade com o televisor. No caso das TVs da Samsung, esta ligação pode ser feita sem fios; outros televisores precisarão de um dock com saída HDMI.



Segurar o GamePad é uma sensação um pouco estranha para quem já está acostumado com os consoles tradicionais. O formato do controle vai contra as tendências de design e ergonomia adotadas pela indústria de games na última década, que podem ser observadas nos controles do Xbox One e do PS4. Já o controle da Samsung lembra épocas mais simples dos games, se assemelhando com o controle do Mega Drive. Isso não é muito bom, e torna a pegada esquisita.



A diferença é gritante entre a sensação de pegar em um Nvidia Shield, cujos controles realmente são comparáveis aos consoles de mesa, e no GamePad da Samsung. Obviamente se tratam de propostas diferentes, mas a ergonomia poderia ter sido melhor observada no gadget da coreana.



Em relação à sua usabilidade, ele é aceitável. Os botões respondem bem aos comandos, mas parecem um pouco duros demais, apenas. Ele se assemelha um pouco ao controle do Xbox 360 na disposição dos botões.



Algo que pareceu estranho nos nossos testes foi que enquanto o celular está conectado ao dock que o liga à televisão, tanto a TV e o aparelho ficam exibindo a imagem do jogo, algo que incomoda um pouco por ser redundante.