17 de fev de 2014

Samsung riu do Android em 2004 e não quis comprá-lo, diz livro



Há 10 anos, Andy Rubin foi à Coreia do Sul tentar vender seu desconhecido software Android para a Samsung. 

Criado por ele um ano antes, o sistema dependia de investimentos para ganhar corpo. Mas a reunião com os executivos não foi proveitosa e acabou virando piada. 

"Você e qual exército vão criar isto? Você tem seis pessoas. Está louco?", desdenharam os porta-vozes que, em seguida, riram da proposta.

A história acima é contada por Rubin no livroDogfight: How Apple and Google Went to War and Started a Revolution” (“Dogfight: Como Apple e Google foram para a guerra e começaram uma revolução”, em tradução livre), de Fred Vogelstein, publicado esta semana nos Estados Unidos. 

À venda na Amazon, a obra revive os primeiros movimentos das fabricantes no segmento que levaria menos de uma década para se popularizar.

Duas semanas após a reunião na Coreia, Google e Rubin começaram a conversar; em 2005, a companhia comprou o Android por US$ 50 milhões e absorveu as pessoas envolvidas no projeto. 

Nove anos mais tarde, presente em 85% dos smartphones pelo mundo, o Android equipa quase todos os celulares da coreana, a tem como principal fabricante e causa sérias dores de cabeça à Apple.