27 de nov de 2013

Ingress: jogo do Google traz realidade aumentada para Android e iOS

Ingress é um game de realidade aumenta que funciona diretamente em smartphones criado pela startup Niantic Labs, do Google. O jogo foi lançado neste ano para Android e tem uma versão de iOS prevista para 2014. No game, o jogador pode escolher entre dois grupos: Os Enlightened, que utilizam uma energia presente no cenário e acreditam que ela é benéfica pra humanidade, e os Resistance, que duvidam da fonte energética e acreditam que ela pode ser prejudicial. Para entender como a realidade aumentada funciona no celular, a coluna Geração Gamer do TechTudo entrevistou a equipe Enlightened, com Taluna Costa (32), Mariana Casals (25) e Daniel Borges (32).


Ingress leva a realidade aumentada com energia para o Android (Foto: Divulgação)

Uma história que envolve energia
Como qualquer ARG (Alternate Reality Game), Ingress precisa de uma história para envolver os gamers em seus objetivos no nosso mundo físico. “O game possui um enredo muito bem construído e que está em permanente evolução, pois depende da interação entre os jogadores. Na história, cientistas da Europa descobriram uma energia misteriosa invisível a olho nu. A origem e o propósito dessa energia são desconhecidos, mas alguns pesquisadores acreditam que ela está influenciando a mente humana. É sabido apenas que ela costuma aparecer em portais que surgem em lugares com alguma importância artística, cultural ou histórica”, diz Taluna Costa. Ela é integrante da equipe brasileira da facção Enlightened, que cultua a energia do game e a manipula.
O time feminino do Enlightened Brasil, com Mariana Casals, à esquerda, e Taluna Costa, de óculos escuros (Foto: Mariana Casals/Arquivo Pessoal)
“O Ingress parece ser uma evolução do videogame, pois você precisa andar fisicamente pelo mundo e colaborar com as pessoas de verdade para atingir os objetivos propostos. Com isso, quero dizer que os jogadores do Ingress não são necessariamente dos videogames e possuem perfis diversificados. O jogo faz com que as pessoas vivenciem a história”, explica Mariana Casals. “Nossos codenomes dentro dessa história são @ElitaOne pra Taluna, @experiment0s pra Mariana e @dbb9h para mim”, completa Daniel Borges.
O encontro de jogadores em Ingress (Foto: Mariana Casals/Arquivo Pessoal)
Quando o jogo começa, o gamer vê na tela  as fontes de energia nos locais à sua volta. Ele deverá escolher uma das facções e terá como objetivo dominar os portais para que sejam interligados na formação Fields. Esses Fields são formas geométricas triangulares e representam uma área de dominação da mente humana (Mind Units). “Com essa mecânica, realizamos a ’Operação Esmeralda’ com a comunidade Enlightened do Rio de Janeiro. Nosso game serviu para demonstrar que o time carioca tem organização e número de jogadoras suficientes para realizar uma entidade complexa no jogo que é o portal de nível máximo, o level 8″, afirmou Taluna. “Um portal deste nível só pode ser formado tendo a presença de oito jogadores distintos, que atingiram o nível máximo”, disse Mariana.


“Operação Esmeralda” no Rio de Janeiro e outras ações
Enlightened Brasil construiu um Field de energia na Universidade Game Filho, do Rio (Mariana Casals/Arquivo Pessoal)
equipe Enlightened Rio na Universidade Gama Filho, perto da Avenida das Américas. “Nosso objetivo com a ‘Operação Esmeralda’ foi mostrar para a comunidade global do Ingress que, mesmo num universo majoritariamente masculino, o time brasileiro tem quantidade de jogadoras e organização suficiente para realizar operações desse porte apenas com mulheres”, disse categoricamente Taluna Costa. As oito meninas do time chegaram no nível máximo do game.
“Além da Operação Esmeralda, a Enlightened Brasil realizou outras operações mesclando homens e mulheres que também são consideradas marcos importantes dentro da facção como um todo”, explica Daniel Borges. O gamer elencou os principais feitos do grupo: “O primeiro agente L8 do Rio de Janeiro, @immergut, surgiu em fevereiro deste ano. Em março ocorreu a ‘Operação Serra do Mar Shake’ que se tornou o primeiro Megafield na cidade. Somente em abril surgiu o primeiro portal L8. Maio trouxe a ‘Operação Cama de Gato’, o primeiro Megafield de múltiplas camadas do Rio de Janeiro. Já o mês de agosto trouxe feitos globais, como a vitória da equipe Enlightened Brasil no evento mundial chamado ‘Cassandra’, etapa São Paulo, além da ‘Operação Verdolengo’. As meninas da ‘Esmeralda’ só agiram em novembro”.
Utilidades de um jogo de realidade aumentada
Diferente do joystick e do computador, Ingress força os jogadores a saírem de casa e interagirem com estranhos na rua. “O celular no game é chamado de scanner e você só precisa dele para entrar em seu universo. O jogo incentiva o deslocamento físico. Por esse motivo, dá para jogar no trajeto entre a casa e o trabalho, por exemplo. Ele se torna uma boa razão para conhecer melhor cidades e até países diferentes no tempo livre”, falou Taluna Costa.
Mariana Casals mencionou alguns benefícios pessoais através game: “É possivel conhecer muitas pessoas por conta do jogo, então novas amizades são criadas. Muitas pessoas jogam em família e é divertido ver a comunidade crescer não apenas em número de jogadores, mas também como vizinhos e colegas que se tornam amigos e se ajudam”.
“O jogo também estimula o exercício físico e a quebra do sedentarismo. Como é necessário se deslocar fisicamente, muitas pessoas utilizam isso como estimulo para fazer caminhadas, corridas, pedalar, escalar, entre outras atividades quase esportivas”, completa Daniel Borges sobre os benefícios para a saúde.
Ingress sai da versão beta no dia 14 de dezembro. Atualmente, os jogadores, incluindo os brasileiros, foram convidados pela empresa do Google para experimentar o game. Confira abaixo o teaser do jogo, chamado “It’s time to move”:

Biografia: http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/11/ingress-jogo-do-google-traz-realidade-aumentada-para-android-e-ios.html