24 de fev de 2014

Apps maliciosos para Android crescem 486% em um ano, diz pesquisa



O Android consolidou-se como o sistema operacional preferido dos cibercriminosos. Em 2013, o número de aplicativos maliciosos desenvolvidos para atacar usuários da plataforma disparou 486% em relação ao ano anterior, totalizando 1,2 milhão de ameaças detectadas pela empresa de segurança G Data.

Para o analista Eddy Willems, responsável pelo estudo, os crimes cibernéticos se mantêm em "pleno rendimento" ao se aproveitar de um "elo muito frágil" nos smartphones e tablets. Segundo ele, as ameaças tendem a aumentar em 2014 a partir de ataques cruzados entre plataformas que utilizam a moeda virtual bitcoin e outros temas em voga como isca.

O relatório da G Data indica que a maioria dos ataques pertence à família dos "malwares", dos quais 80% são trojans, aqueles programas maliciosos que se disfarçam de legítimos para causar danos nas máquinas sem o conhecimento do usuário. Depois aparecem os "backdoors" (18,8%) e "exploits" (0,3%).

A variedade de vírus que se espalham pela internet deixa qualquer um confuso. Se você tem dificuldade para classificá-los e identificar suas ameaças, consulte esta cartilha que explica as diferenças entre os principais tipos de vírus.