24 de fev de 2014

Com tela AMOLED na frente e e-ink na traseira, smartphone YotaPhone ganhará nova versão

O YotaPhone foi lançado no final do ano passado, mas um sucessor não deverá tardar muito para chegar: os russos da Yota Devices aproveitaram o primeiro dia do Mobile World Congress 2014 para anunciar a segunda geração de seu smartphone de duas telas.
Novo YotaPhone
O dispositivo ainda não está finalizado (as unidades apresentadas são protótipos), mas as novidades já anunciadas são interessantes. Para começar, a tela frontal agora é AMOLED e possui 5 polegadas com resolução Full HD (contra 4,3 da geração anterior). A tela e-ink traseira continua lá, só que também cresceu, pulando para 4,7 polegadas e tendo resolução de 960×540 pixels.
O design externo do aparelho também mudou e, convenhamos, ficou bem melhor. Agora há mais curvas nas extremidades e menos traços nas partes frontal e traseira. De modo geral, parece que a Yota se inspirou nas linhas mais sóbrias de aparelhos como Moto X e Nexus 4.
Internamente, também houve evolução. O novo YotaPhone deverá vir com processador Snapdragon 800 quad-core de 2,3 GHz, 2 GB de RAM, 32 GB de storage, câmera traseira de 8 megapixels, câmera frontal de 2 megapixels, Wi-Fi 802.11ac, USB 3.0, NFC, Bluetooth 4.0, LTE e bateria de 2.550 mAh, tudo isso em um aparelho com 8,9 mm de espessura.
Tudo muito interessante, mas o protagonista da história continua sendo a tela e-ink traseira – por que ela está lá? Como você deve saber, a tela é um dos componentes que mais gastam energia. Com o e-ink, o usuário tem a opção de consultar horas, verificar notificações e realizar tarefas mais simples em uma tela que pega leve com a bateria.
Novo YotaPhone
E o mais importante: em tese, dá para utilizar o app do Kindle ou similares para ler livros e textos mais longos com o conforto que as telas e-ink proporcionam. Só não ficou claro se, ao contrário do modelo atual, o novo YotaPhone terá retroiluminação para esta tela.
O dispositivo deverá ser lançado na Europa no final de 2014. A expectativa é a de que o preço gire em torno dos 500 euros. Caro? Talvez, mas parece que o investimento está valendo a pena: na Rússia, os consumidores que não gostarem do YotaPhone atual podem devolvê-lo dentro de um mês, mas nenhuma unidade retornou até agora, segundo a Yota.


Com informações: TechCrunch