17 de fev de 2014

Google e Apple banem aplicativos com “Flappy” no nome

O maior sucesso das últimas que desapareceu das lojas de aplicativos ainda traz dor de cabeça. 

Um monte de gente foi na onda do Flappy Bird criando títulos “similares” (estou sendo generoso no adjetivo) para aproveitar a fama do jogo. Só que esses jogos não poderão mais entrar na loja do Google e da Apple se tiverem “Flappy” no nome. 

O termo está terminantemente proibido, segundo contam alguns desenvolvedores que tentaram lançar Flappy Jogos (sério, cada loja deveria ter uma categoria dedicada exclusivamente a isso).

A Apple alegou a um desenvolvedor de Vancouver que o jogo dele “tenta se promover por meio de um aplicativo popular”. Esse é o relato de Ken Carpenter em entrevista ao TechCrunch. Ele não está sozinho nessa.

Imagine qualquer coisa com ”flappy”. Já existe

Outro desenvolvedor chamado Kuiy Mobile publicou no Twitter que conhece “pelo menos três” títulos que foram igualmente rejeitados na App Store. 

Ele sugeriu ao colega que tentasse reenviar o FlapThulhu: Flappy Madness (!) aos avaliadores da Apple. Vai que cola numa segunda tentativa?

Parece que o Google também baniu a palavra “flappy” de lançamentos na loja Google Play. 

O mesmo Kuyi Mobile e a Happy Mage Games relataram conhecer desenvolvedores que foram impedidos pelos avaliadores do Google de enviar os títulos para a loja sem que fosse feita uma mudança no nome.

No caso de Flappy Dragon, o jogo chegou à loja Google Play. Depois de algum tempo, ele ficou indisponível na pesquisa, embora o link direto funcionasse. 

Em seguida, algum avaliador do Google desativou de vez o título e ainda enviou um aviso de suspensão para o criador. “Eles arbitrariamente removeram o aplicativo, sem aviso prévio nenhum”, conta Carpenter ainda aoTechCrunch.

Google e Apple por ora não se pronunciaram sobre as proibições de “flappy” em novos aplicativos/jogos enviados para as respectivas lojas. 

De qualquer forma, se fossem seguir à risca a determinação, teriam também que remover o punhado de copycats do Flappy Birdoriginal que ainda subsistem nas lojas.

Enquanto o jogo oficial não volta, dá pra aproveitar algumas versões disponíveis na web. O buscador chinês Baidu anunciou na semana passada a presença do Flappy Bird dentro do portal Hao123. 

Não está claro se eles licenciaram o título verdadeiro. Além disso, o UOL também tem o Flash Flappy Bird, que é… bom, uma versão do Flappy Bird rodando com tecnologia Adobe Flash, como o nome sugere.