3 de fev de 2014

Nanotubos de carbono podem tornar CPUs seis vezes mais rápidos

Uma nova tecnologia de resfriamento pode fazer com que os processadores de computadores se tornem até seis vezes mais rápidos. O uso de nanotubos de carbono vem sendo testado há algum tempo, mas pesquisas do Lawrence Berkeley National Lab, que funciona também como departamento de energia americano, parecem ter encontrado uma solução para adotá-los de vez..
Técnicos da IBM conseguiram desenvolver um chip feito de carbono em laboratório (Foto: Reprodução) (Foto: Técnicos da IBM conseguiram desenvolver um chip feito de carbono em laboratório (Foto: Reprodução))
Um dos problemas mais comuns dos CPUs atuais é que a transmissão de calor entre os seus núcleos não é das melhores, por causa dos materiais usados, e gera temperaturas altas no processador. Com os nanotubos, elas podem cair, tornando os CPUs bem mais poderosos. Afinal, a condução de calor proporcionada por eles é mais eficaz.
Um estudo publicado na revista Nature revela que, usando certos compostos orgânicos para ligar os nanotubos a uma espécie de camada de metal sobre os chips, é possível fazer com que toda a condução de calor seja seis vezes mais eficiente. Isso aumentaria o desempenho dos processadores por vários motivos.
A diminuição das temperaturas dos núcleos dos CPUs permitiria que eles rodassem com maior frequência ou que tivessem maiores períodos de tempo em seus modos Turbo, por exemplo. Segundo o site Extreme Tech, este tipo de avanço pode ser importante pois não há maneiras tão eficientes de controlar a temperatura nos processadores.