3 de mar de 2014

Apple é mais cobiçada que Samsung nos países emergentes, diz estudo



Pesquisa feita com 4,5 mil consumidores no Brasil, Índia, China, Nigéria e Vietnã concluiu que, embora os smartphones com Android vendam mais nestas regiões - porque são mais acessíveis -, os celulares da Apple são preferidos do público, com 32%. A Samsung aparece em segundo (29%) e a Nokia completa o pódio (13%). Os percentuais das outras empresas não foram divulgados.


Para os clientes brasileiros, segundo o estudo, a confiança na marca é o fator mais importante na hora de escolher o modelo do celular. Nos outros mercados emergentes analisados, prevalece o sentimento de aspiração provocado pela fabricante.



"A corrida pelos mercados emergentes está em andamento depois de vários lançamentos (...) Mas elas só serão capazes de se conectar com os consumidores depois de responder às necessidades de acessibilidade e funcionalidade", avalia Marco Veremis, responsável pela pesquisa.



O relatório analisa as diferentes estratégias para ganhar mercado nestes países. A Apple, por exemplo, tenta emplacar o iPhone 5c desde o ano passado, mas encontra dificuldades para torná-lo acessível fora dos Estados Unidos. No Brasil, a versão mais barata custa em torno de R$ 2 mil. 



A Nokia, por sua vez, anunciou recentemente seus primeiros celulares com Android na tentativa de conquistar os consumidores que estão na transição dos feature phones - mais básicos - para smartphones limitados, mas que ofereçam acesso à internet.



Já a Samsung segue firme na estratégia de atacar em todas as categorias. Com opções das mais simples às sofisticadas, como os top de linha Galaxy S5 e Galaxy Note 3 - que, no Brasil, não sai por menos de R$ 2,7 mil -  a coreana é a maior fabricante de celulares do mundo.